A origem das feiras de negócios

As feiras de negócios proporcionam a abertura de novos mercados, contatos entre as empresas expositoras e clientes, ou seja, ele reúne inúmeros profissionais propensos a firmar grandes parcerias. Essas feiras são segmentadas e possuem um público com interesses comerciais em comum.

De todas as vantagens da feira de negócios, a melhor e imediata é o fechamento de negócios: ele é parte fundamental do dia-a-dia do evento e a empresa precisa estar preparada para rodada de negócios, com sugestões e estratégias de venda confiáveis e articuladas.

Historicamente falando, uma feira é o local onde pessoas, em datas predeterminadas, negociam suas mercadorias. Há indícios de que a prática seja realizada desde 500 a.C. e tenha se iniciado no Oriente Médio, embora relacionadas as festas religiosas e dias santos, consta que grandes mercadores da época reuniam grupos de pessoas para trocar os produtos que traziam de terras distantes.

Com a crise do Feudalismo, no final da Idade Média, a firmação das feiras medievais refletiu o restabelecimento do comércio na Europa e a origem da burguesia enquanto classe social. Elas instalavam-se em locais estratégicos, como povoados ou o cruzamento de rotas comerciais;

A partir das Cruzadas, os europeus tiveram um maior contato com o Oriente, de onde chegavam as mercadorias exóticas como pimenta, cravo, canela, perfumes, seda, porcelana. Esse movimento caracterizou o chamado Renascimento Comercial.

Um fato bastante curioso é que durante a realização dessas feiras medievais as guerras eram interrompidas e a paz assegurada para que os vendedores, dispostos lado a lado, pudessem trabalhar com segurança. Os guardas ficavam alerta para evitar que algum desordeiro pudesse causar algum transtorno àqueles que realizavam seus negócios.

Enfim, o tempo passou, o comércio e as negociações se modernizaram. Hoje em dia a prática de feiras de negócios está totalmente em alta, com inúmeras inovações, mas sem perder a essência de trabalhar para conquistar o cliente e torna-lo fiel.

Esta forma de marketing individualizado, direto e quase personalizado, trabalhado desde a antiguidade na feira de negócios, é o chamado Marketing One to One (O2O), que resume-se em: Identificar e enxergar o cliente, o que ficará por conta da equipe de atendimento do estande e personalizar a oferta do produto ou serviço de acordo com necessidade e individualidade de cada cliente.

A prática do marketing O2O facilita a identificação do segmento alvo através do armazenamento dos contatos feitos no evento. Esse cadastro aproximará ainda mais empresa e cliente, permitindo que sejam enviadas informações sobre lançamentos, promoções, novidades e demais informações específicas.